Educação Ambiental

Imagem: 
Corpo: 

Turma Mangue e Tal

Quatro protetores da natureza embarcam em aventuras para defender o meio ambiente acompanhados por uma garça azul e um robô reciclado e cibernático - experiência revolucionária do porto tecnológico do recife - formam a turma mangue e tal.  Uma jornada pelo enfrentamento e transformação dos problemas ambientais da cidade, através da educação ambiental e das atitudes sustentáveis.

A Turma Mangue e Tal é baseada nas temáticas do verde urbano, resíduos sólidos, água e biodiversidade. Para cada temática existe um personagem correspondente. São eles:

Jô - Protetora das questões relativas às áreas verdes, arborização, unidades de conservação e do mangue. Características: concentrada, enigmática, perspicaz.  Influenciada pelos ideais de Josué de Castro.

Dom - Protetor da natureza, responsável pelas atitudes sustentáveis e boas práticas para a preservação do meio ambiente. Características: urbano, dinâmico, pacífico. Influenciado pelos ideais de Dom Helder Camara.

Riso - Protetora dos recursos hídricos, rios e seus ecossistemas, da praia, do uso raional da água. Características: bem humorada, simpática, extrovertida. Influenciada pelos ideais de Chico Sciense.

Otto - Protetor dos animais. Características: um ser humano mágico, tem o dom da palavra, da justiça, da gentileza. Influenciado por Clarice Lispector

Düporto - Um aratu gigante e cibernético. Criação do porto tecnológico do Recife. Características: ágil, cortês, astuto, hitech.  Um transformer.  É o transporte da Turma Mangue e Tal (por terra, água ou ar). Apaixonado pela garça morena.

Morena - Uma garça azul, protetora dos resíduos sólidos, prestirecicladora.  Características: vibrante, inquieta, empoderada.

Programa Educar para uma Cidade Sustentável

Programa de educação ambiental da Prefeitura do Recife, teve início no ano de 2014. Atua em 5 linhas de ação: Gestão e Planejamento da Educação Ambiental; Educação Ambiental nas Instituições de Ensino; Comunicação para a Educação Ambiental; Educação Ambiental nas Áreas Verdes; e Tecnologia para a Sustentabilidade.

Está estruturado em seis eixos temáticos de reconhecida relevância para a questão ambiental do município do Recife: verde urbano, águas, resíduos sólidos, biodiversidade, poluição sonora e mudanças climáticas.

Linhas de ação

No que corresponde a Gestão e Planejamento da Educação Ambiental, foi instituída a Política Municipal de Educação Ambiental, através da qual também foi criado um Comitê Gestor Municipal de Educação Ambiental – COMEA, reunindo vários órgãos do poder municipal no sentido de proporcionar um ordenamento no planejamento e implementação de ações de Educação Ambiental do município, assim como uma maior cooperação entre os setores.

 

Programa Educar para uma Cidade Sustentável já beneficiou mais de 50 mil estudantes ao longo de cinco anos

 

Desde 2014, o Programa Educar para uma Cidade Sustentável é desenvolvido em escolas da rede municipal para promover conscientização, conceitos de práticas sustentáveis e formar agentes multiplicadores

Com o intuito de formar agentes multiplicadores e estimular a adoção de práticas sustentáveis, a Prefeitura do Recife desenvolve o Programa Educar para uma Cidade Sustentável na rede municipal de ensino.  Desde 2014, aproximadamente 140 escolas, creches e CMEIs já passaram pelo Programa, ao longo dos quais mais de 50 mil estudantes, com idade entre 2 e 14 anos, foram sensibilizados acerca da importância da esfera ecológica e sociocultural para a construção de uma sociedade consciente e responsável. As atividades são desenvolvidas durante o ano letivo nas unidades de ensino de forma lúdica e transversal na sala de aula.

 

O processo de ingresso no Programa Educar para uma Cidade Sustentável é realizado anualmente mediante inscrição espontânea da escola interessada, sendo necessário que o professor ou algum gestor da unidade submeta um projeto on line para ser avaliado pela equipe de Educação Ambiental da SMAS. O projeto que a instituição se propõe a desenvolver deve ser descrito incluindo informações como número de turmas envolvidas, duração, número de pessoas participantes (pais, alunos, comunidade), datas do calendário ecológico a serem comemoradas; atividades de extensão e complementares (criação de blogs, oficinas, etc). É possível propor uma ação nova ou dar continuidade a uma já existente no equipamento. Ao longo do ano letivo, as atividades executadas pelas unidades de ensino somarão pontos e aquelas que tiverem a maior pontuação ao final do período serão consideradas Destaque do Ano, recebendo uma premiação. No final do ano, ocorre o Festival Educar para uma Cidade Sustentável, onde os estudantes demonstram, com o uso das artes, o aprendizado de todo o ano, podendo ser através de músicas, peças teatrais, exposições, recitais, paródias e jogos.

 

O programa trabalha com algumas diretrizes pedagógicas, dentre as quais: Interdisciplinaridade; Transversalidade; Aplicabilidade; Viabilidade econômica; Identidade local; Envolvimento de outros atores; Atividades de extensão; Atividades complementares; Duração; Envolvimento; Calendário Comemorativo; Perspectiva de continuidade e Produto Final. Todo esse processo é acompanhado pela equipe técnica de analistas da SMAS ao longo do ano, que também irão checar, a partir de monitoramento utilizando registros fotográficos, atas de presenças e outros instrumentos comprobatórios de cada instituição de ensino, a aplicabilidade dos critérios elencados.

 

Nas edições anteriores, as instituições de ensino centraram seus projetos em eixos temáticos, sendo eles: verde urbano, versando sobre arborização urbana e áreas verdes na  cidade; resíduos sólidos, que gira em torno da política de descarte correto dos resíduos e o princípio dos 3Rs - Reduzir, Reutilizar e Reciclar; águas e consumo consciente, focando nos recursos hídricos do Recife e a importância da preservação de rios e mares; poluição sonora e suas consequências e biodiversidades, fomentando conscientização quanto ameaças às espécies e o patrimônio ambiental da capital pernambucana. Em sua 6ª edição realizada em 2019, o Programa instituiu que os eixos citados deveriam ser introduzidos nos projetos escolares como parte de uma temática central: as Mudanças Climáticas.

 

A educação ambiental é um componente essencial e permanente do ensino em âmbito municipal, estando presente, de forma articulada, em todas as modalidades do processo educativo. A participação das insittuições de ensino no Programa favorece o desenvolvimento sustentável da cidade através do processo educacional, a melhoria da qualidade de vida da população e o conhecimento e participação dos municípios, em nível individual, coletivo e/ou representativo, para o efetivo exercício da cidadania e da inclusão social.

 

Uma das diretrizes deste programa é a formação de educadores ambientais. Sendo professor ou estudante, a prática da formação aborda questões que permeiam o desenvolvimento sustentável, impactando e promovendo a reflexão crítica acerca da problemática socioambiental e o aprofundamento conceitual, contribuindo para a construção de territórios sustentáveis, sejam eles no âmbito escolar ou comunitário.

 

Ao final do ano letivo, todas as instituições de ensino participantes são convidadas a apresentar tudo o que foi desenvolvido durante os períodos letivos em um festival promovido pela Prefeitura do Recife. O encontro celebra a conclusão das atividades do programa com trocas de experiências. A primeira edição do Festival Educar para uma Cidade Sustentável levou alunos para o Parque 13 de Maio, em 2014. De 2015 a 2017, a solenidade foi festejada no Jardim Botânico do Recife, equipamento de educação e preservação ambiental da Prefeitura do Recife. O Compaz Escritor Ariano Suassuna, no bairro do Cordeiro, e Governador Eduardo Campos, no Alto Santa Terezinha, foram palco dos eventos realizados pelo Festival em 2018 e 2019. Neste ano, mais de 1.500 estudantes apresentaram atividades como esquetes teatrais, paródias, exposições, lendas, musicais, brinquedos sustentáveis, projetos de hortas escolares, técnicas de compostagem realizadas em sala de aula e ideias inovadoras, fazendo um intercâmbio entre a sala de aula, pais e professores. 

 

Recentemente, o prefeito Geraldo Julio anunciou que Sustentabilidade e Emergência Climática será adicionada à grade escolar, tornando Recife a primeira cidade brasileira a introduzir o assunto como obrigatório nas instituições de ensino. O Projeto de Lei para a Câmara Municipal será enviado ainda este ano, para que a disciplina entre no calendário escolar já em 2020. O anúncio aconteceu durante o Painel de Prefeitos pelo Clima na Conferência Brasileira de Mudança do Clima, realizada no bairro do Recife, quando reuniu líderes e formadores de opinião de todo o país. A iniciativa será mais uma ferramenta nos esforços de conscientizar crianças e adolescentes no desenvolvimento de uma consciência ambiental

 

 

 

 

Sede: Rua Fernando César, nº 65, Encruzilhada. Recife - PE - CEP 52041-170

Licenciamento: Rua Fernando César, nº 65, Encruzilhada. Recife - PE - CEP 52041-170 (8h às 13h: atendimento ao público)

Desenvolvido pela Emprel